Especialidades da EEAR: curso de controlador de tráfego aéreo!

Especialidades da EEAR: curso de controlador de tráfego aéreo!

Você sonha em ingressar no curso de controlador de tráfego aéreo na EEAR? Confira esse artigo que o Estratégia Militares preparou para você com muitas informações e respostas sobre essa especialidade.

A Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR) é a responsável pela formação dos sargentos – também chamados graduados – no Comando da Aeronáutica. A instituição localiza-se na cidade de Guaratinguetá, em São Paulo. 

Dentre as especialidades básicas da escola, destaca-se a de controle de tráfego aéreo, também chamado de BCT – Básico de Controle de Tráfego.

Inscreva-se em nossa newsletter!

Receba notícias sobre os mais importantes concursos para as Forças Armadas brasileiras e informações sobre o mundo militar!

O que é controlar?

Na Aeronáutica, controlar é orientar os pilotos sobre as proas, altitudes e velocidades a fim de organizá-los num tráfego seguro e rápido.

Quais são as responsabilidades do controlador de tráfego aéreo?

Esse profissional tem a responsabilidade de promover um tráfego aéreo rápido, seguro e ordenado.

Quais as missões que o controlador de tráfego aéreo realiza pela FAB?

São várias. Dentre elas, as missões para dar instruções nas instituições de ensino da FAB; para treinamento na implementação de algum procedimento novo de controle; e para aprimoramento profissional.

Oportunidades no exterior

Muitos instrutores e controladores de tráfego aéreo são encaminhados para o exterior para missões de cooperação, aprofundamentos nos estudos, cursos e até mesmo participação em acordos internacionais. Mas para isso é necessário que o sargento tenha um bom nível de inglês e que possua alguns certificados exigidos pela FAB para realizar essas missões. 

Se o nível de inglês do sargento for alto, a FAB oferece o curso CTP-10, que o habilita a iniciar os cursos de instrutor de inglês (que exige o certificado no nível 5 ou 6 na ICAO – International Civil Aviation Organization) e no curso de avaliador de proficiência do idioma na Aeronáutica.

Torre de controle

É possível ingressar no curso de controlador de tráfego aéreo sem ter fluência no inglês?

É possível ingressar na EEAR como BCT sem ter o inglês fluente. Isso porque dentro da escola, o aluno recebe todas as instruções e materiais para apoiá-lo nos estudos para o idioma. 

É importante ressaltar ainda que na aviação, a comunicação é feita por um padrão de fraseologia, determinada pela ICAO. Sendo assim, o inglês é necessário sim, e é preciso que o aluno se aplique no estudo do idioma.

O que o controlador de tráfego estuda nas 4 séries da EEAR?

Durante os dois anos do curso, o aluno estudará os regulamentos militares, terá instruções de ordem unida e terá as seguintes disciplinas:

  • Português; 
  • Inglês; 
  • Reconhecimento de aeronaves; 
  • Meteorologia aeronáutica; 
  • Tráfego aéreo; 
  • Serviço de Informações Aeronáuticas
  • Navegação aérea; 
  • Controle de aeródromo; 
  • Controle de aproximação; 
  • Vigilância ATS; 
  • Comunicação Oral e Escrita;
  • Prática Simulada – Controle de Área; 
  • Prática Simulada – Controle de Aeródromo;
  • Fraseologia de Tráfego Aéreo para Controle de Aeródromo; 
  • Fraseologia de Tráfego Aéreo para Controle de Aproximação; 
  • Prática Simulada APP/ACC;
  • ATM 002 (Básico de Vigilância ATS) – operação de radar aéreo;
  • ATM 015 Módulo I (Técnicas de Operação Radar em Rota e Área Terminal); e 
  • Estágio em Controle de Tráfego Aéreo.

O que é a fraseologia?

A fraseologia do tráfego aéreo visa padronizar as comunicações entre os pilotos, os controladores de tráfego, os motoristas de veículos e pessoas na área de movimento dos aeródromos sob jurisdição do Brasil. 

Além disso, ela visa reduzir o intervalo de tempo de transmissão das mensagens e resultar em comunicações claras e objetivas.

Essa fraseologia adotada no Brasil segue o padrão internacional estabelecido na Convenção de Aviação Civil Internacional (CACI), realizada em 7 de dezembro de 1944, na cidade de Chicago. Alguns exemplos dessa comunicação são:

TAM 3330, condições de partida imediata?TAM 3330, are you ready for immediate departure?
GLO 1495, negativo, alinhe e mantenha devido aeronave cruzando a pista. GLO 1495, negative, line up and wait due aircraft crossing the runway.
PTB 1405, pista 09, autorizada decolagem, vento 095 graus, 10kt.PTB 1405, runway 09, cleared for take-off, wind 095 degrees, 10kt.

Há física e matemática durante a formação?

Não como matérias específicas, mas é cobrado do candidato uma noção das mesmas. Para poder realizar, por exemplo, o cálculo da velocidade média de uma aeronave.

O curso de controle de tráfego aéreo na EEAR é mais difícil que as outras especialidades?

Não só o BCT, mas o BMA – mecânico de voo – são as especialidades que têm as rotinas mais intensas para os alunos. 

Para o BCT, elas são diferenciadas, pois a carga de matérias para estudar é muito grande. Mas isso não significa que seja impossível de ser cumprida. A formação exige do aluno a máxima aplicação nos estudos para ser aprovado nas provas teóricas e físicas.

Quanto é a remuneração do aluno do curso de controle de tráfego aéreo da EEAR?

O aluno do curso de controle de tráfego aéreo da EEAR recebe o soldo, que é regulamentado pelo Estatuto dos Militares. Atualmente, o soldo é de R$1.066,00, o qual é depositado na conta bancária do aluno no primeiro dia útil de cada mês. Você pode acessar a tabela dos soldos militares aqui.

Pós-formado

Após formado, o sargento é encaminhado para sua unidade, onde irá rever na prática a teoria que aprendeu. 

O militar pode atuar nos setores:  

  • APP – setor que leva a aeronave do aeródromo para a rota e vice-versa; 
  • Centro – exerce o controle convencional, mas a comunicação é por satélite; e 
  • DECEA – onde pode atuar na seção de drones, entre outros.

Além disso, o sargento pode atuar na torre de controle, no ACC (Controle de radar) e nos CINDACTA (Centro Integrado de Defesa Aérea e Controle de Tráfego Aéreo) a fim de ser responsável pelos tráfegos nacionais, internacionais, militares e de aviação geral.

Após os estudos teóricos, o sargento é encaminhado à prática simulada e, posteriormente, ao posto operacional com um instrutor o acompanhando. 

Ao final, o controlador de tráfego aéreo é encaminhado para um conselho no qual verificará com os instrutores, com os médicos e com o candidato se ele está apto a exercer a função sozinho.

Qual o soldo do sargento especialista de tráfego aéreo?

A remuneração referente ao cargo de Controlador de Tráfego Aéreo militar varia, visto que o valor depende da graduação e do posto do integrante da Força Aérea. Vale ressaltar que o soldo é apenas a base do salário do militar. 

Junto ao soldo são pagos diversos valores adicionais pela função desempenhada, mas também existem alguns descontos referentes aos serviços hospitalares, pensão militar, entre outros. Atualmente, o soldo-base varia de R$3.825,00 à R$6.169,00, para os graduados.

Quais localidades o controlador de tráfego aéreo pode servir?

Os lugares sempre variam a cada ano, mas os grandes centros de controle – Manaus, Brasília, Curitiba e Recife – são os que mais abrem vagas. Também há muitas no CRCEA-SE em São Paulo, devido a alta demanda de tráfego aéreo e a alta rotatividade de pessoal. 

Mas o BCT tem muitas outras localidades para servir. Por meio do DTCEA – Destacamento de Controle do Espaço Aéreo, por exemplo, os controladores podem servir em cidades que possuam torres de controle da FAB, como Porto Alegre, Canoas e Três Marias. 

Contudo, existem localidades que são mais difíceis do sargento recém-formado ser enviado, como Natal, Fortaleza, Fernando de Noronha, entre outras. Tudo por causa do  nível de experiência no controle do tráfego aéreo e das movimentações dos militares mais antigos.

Controlador de tráfego aéreo é um trabalho estressante?

Na essência, não. Assim como todo trabalho no mundo, existem momentos de estresse, como algum conflito de interesse entre o controlador e o tráfego controlado. Mas isso não é algo permanente. 

Muitas pessoas pensam que o fato de a função ter muita responsabilidade, ela é estressante. Mas a atividade de controle do tráfego aéreo não é.

O BCT passa por muitos momentos de tensão, sendo necessário ao militar prestar muita atenção durante o trabalho. 

Na EEAR, o aluno tem os primeiros contatos com as pressões da função. Sendo assim, é o lugar certo para errar e desenvolver habilidades de controle emocional. 

Outra dificuldade que o profissional pode passar  é a pressão de ser o responsável por guiar uma aeronave com 200 ou 300 pessoas. Mas isso é solucionado ao longo do tempo, com muita disposição e acompanhamento dos supervisores e médicos da FAB.

Como é a escala de serviço do sargento controlador de tráfego aéreo?

A forma de trabalho pode ser por escala como operacional ou por expediente administrativo. A escala varia em cada órgão de controle – torre, ACC.

O trabalho é realizado em turnos pela manhã, tarde ou noite. Eles variam de 07h a 08h de trabalho, com intervalos de descanso dentro desse horário, não podendo emendar mais do que 5 turnos seguidos. 

Um exemplo é o ACC Atlântico, o qual recebe o maior fluxo de tráfego aéreo no período noturno e da madrugada. Isso exige um efetivo maior durante esses períodos.

Cada órgão tem sua especificidade, mas há uma certa flexibilidade para os militares trocarem os turnos. Existe até mesmo a possibilidade de complementar os estudos com o ensino superior. Mas para isso é preciso saber escolher bem o lugar que você irá servir.

Existe ainda a possibilidade de o militar se candidatar para pertencer ao expediente administrativo. No entanto, ele terá de cumprir não só a rotina das atividades administrativas, mas também as escalas de serviço como controlador, para não perder sua habilitação.

Qual a porcentagem de adicional que é pago ao controlador de tráfego aéreo?

O adicional é pago ao BCT por incorporação de cota do adicional a cada 2 anos de controle, mas também existem as cotas de horas da habilitação como controlador. 

Após 10 anos, a cota se torna permanente, se cumpridos todos os requisitos exigidos pela FAB, bem como a estabilidade no cargo como militar.

Bônus de localidade especial

Além dos 20% de adicional pela habilitação como controlador de tráfego aéreo, em localidades especiais, como o norte do país (Manaus, Boa Vista) existe o adicional de 20%. Ambos os bônus – habilitação e localidade – são cumulativos, podendo chegar aos 40% de adição ao salário.

O que faz e quanto ganha o oficial especialista em controle de tráfego aéreo?

O oficial é responsável por elaborar procedimentos, cartas aéreas, etc., mas não exerce a função de controlador de tráfego aéreo. 

Ele fica essencialmente na parte administrativa e no planejamento do tráfego aéreo. O oficial, também, tira serviço como chefe de equipe nos órgãos de controle. Atualmente, o soldo-base varia de R$7.490,00 à R$11.451,00, para os oficiais.

O que é o CFOE?

O concurso para o CFOE – Curso de Formação de Oficiais Especialistas é um exame interno da Aeronáutica, destinado aos sargentos de carreira de especialidades básicas. 

O CFOE é muito concorrido, por ser de nível nacional, por a prova ter alto grau de dificuldade e por abrir poucas vagas. 

Para chegar ao oficialato, o candidato vai para Lagoa Santa, em Minas Gerais, onde fica dois anos internado no CIAAR – Centro de Instrução e Adaptação da Aeronáutica. – Ao final desse período, ele é habilitado como oficial especialista de tráfego aéreo.


Você curtiu conhecer mais sobre as funções do controlador de tráfego aéreo? Então se prepare para o concurso da EEAR com o Banco de Questões do Estratégia Militares! São mais de 75 mil questões para você se preparar e ser aprovado no exame intelectual! Vem ser coruja!

Veja também:

Você pode gostar também