9 invenções de guerra que usamos até hoje

9 invenções de guerra que usamos até hoje

Você sabia que muitas das coisas que usamos no dia a dia são produtos de pesquisas e descobertas feitas em tempos de guerra? Com os conflitos, surge a necessidade de criações que são úteis até em tempos de paz. 

Desde eletrodomésticos a doces, não faltam exemplos para nos surpreender. O Estratégia Militares separou algumas invenções de guerra que usamos até hoje! 

Inscreva-se em nossa newsletter!

Receba notícias sobre os mais importantes concursos para as Forças Armadas brasileiras e informações sobre o mundo militar!

1. Computador

Durante a Segunda Guerra Mundial, a troca de mensagens codificadas era uma prática comum. Os nazistas utilizavam uma máquina chamada Enigma, que criptografava as comunicações militares a ponto de ser quase impossível para os Aliados interceptarem e extraírem informações das mensagens. 

Uma equipe de matemáticos ingleses foi encarregada de encontrar uma maneira de quebrar o código no departamento de criptografia do Bletchley Park. Entre eles estava Alan Turing, que construiu uma máquina capaz de calcular inúmeras combinações e assim encontrar padrões nas mensagens nazistas. 

Essa máquina e os conceitos desenvolvidos por Turing são a base dos computadores modernos. O Colossus, primeiro computador digital programável, e o ENIAC foram desenvolvidos pouco tempo depois, ainda durante a Segunda Guerra Mundial. Se tiver curiosidade, o filme “O Jogo da Imitação” conta a história de Turing e dessas máquinas que hoje fazem parte do nosso cotidiano. 

2. Internet

Não dá para imaginar a nossa vida moderna sem a internet, não é mesmo? Ela foi desenvolvida durante a Guerra Fria pelo Departamento de Defesa dos Estados Unidos. A ideia era criar um sistema que pudesse compartilhar informações entre computadores a qualquer distância. 

Além de ser usada para a comunicação das tropas americanas, ela viria a servir para trocar e proteger informações sigilosas, ter o controle de operações em solo estrangeiro e montar diversas estratégias de guerras favoráveis ao seu país.

Assim, os EUA criaram a primeira rede de internet, que foi nomeada Arpanet (Advanced Research Projects Agency Network). O dia 29 de outubro de 1969 foi quando o primeiro e-mail da história foi enviado. No entanto, a tecnologia só foi liberada para o público depois do fim da Guerra Fria contra a União Soviética. 

3. Wi-Fi

Não podemos falar da internet hoje em dia sem lembrarmos do Wi-Fi. Essa tecnologia permite a transmissão de informações por ondas de rádio – ou seja, sem fio. Os princípios que tornam o Wi-Fi possível foram desenvolvidos por Hedy Lamarr, uma famosa atriz hollywoodiana na época da Segunda Guerra Mundial. 

Além de atuar, Lamarr era uma inventora nas horas vagas. Diante da guerra e da preocupação que o conflito trazia, ela pensou em uma forma de comunicação que não pudesse ser interceptada e, assim, criou um sistema com o uso de “salto de frequência” capaz de guiar remotamente torpedos até seus alvos. 

Hedy Lamarr conseguiu a patente pela invenção ainda durante a Segunda Guerra Mundial, mas o sistema só foi realmente utilizado na Crise dos Mísseis, em 1962, e na Guerra do Vietnã. Ela foi reconhecida pela sua invenção e recebeu o Prêmio Pioneer, em 1997. Os princípios de seu sistema são a base do sistema Wi-Fi que usamos hoje em dia. 

4. Micro-ondas

Você sabia que o aparelho de micro-ondas que usamos em casa foi criado quase que por acidente? Durante a Segunda Guerra Mundial, uma das tecnologias essenciais para a detecção de aviões inimigos era o radar e um dos componentes era o que chamamos de magnetrons, cujo funcionamento envolve o uso de micro-ondas eletromagnéticas. 

Um certo engenheiro que trabalhava numa das empresas que produzia os magnetrons resolveu comer um chocolate no trabalho e guardou a barra no bolso de sua calça. Logo, percebeu que trabalhar próximo aos radares ativos causava o derretimento do doce. Intrigado, fez uma série de experimentos e inventou o aparelho de micro-ondas para fins culinários. 

5. Motores a jato

Não é segredo que as tecnologias necessárias para o combate estão entre aqueles que mais se desenvolvem durante guerras. Foi durante a Segunda Guerra Mundial que os motores a jato foram implementados em aeronaves. A primeira a utilizar essa tecnologia foi o caça alemão Messerschmitt Me 262 Schwalbe. 

Hoje, os motores a jato são utilizados em aviões ao redor do mundo e tornou-se algo do nosso cotidiano. É o que permite o intenso fluxo aéreo que conhecemos atualmente. 

6. Cabines pressurizadas

Outra invenção da época da Segunda Guerra Mundial são as cabines pressurizadas. Antes, os pilotos e passageiros precisavam usar máscaras de oxigênio quando voavam em grandes alturas. Porém, com a nova tecnologia, tornou-se possível construir aeronaves maiores e permitir a circulação da tripulação durante o voo. 

As cabines pressurizadas foram adotadas em voos comerciais depois da guerra e fazem parte de quase todas as viagens aéreas modernas. 

7. Fita adesiva

Quer algo mais comum do que a fita adesiva? A variação chamada de “Silver Tape” foi inventada durante a Segunda Guerra Mundial e permanece como algo útil até os dias atuais. 

Caixas de munição e cartuchos eram lacrados para evitar que a umidade estragasse o armamento, porém isso dificultava na hora do conflito – os soldados acabavam baleados antes de conseguirem abrir a embalagem de suas munições. 

Diante disso, uma mulher que trabalhava na embalagem e na inspeção de cartuchos, chamada Vesta Stoudt, pensou numa fita de tecido que fosse fácil de abrir e, ao mesmo tempo, resistente à água. Ela apresentou a ideia por escrito ao presidente Roosevelt que, então, incumbiu a Johnson & Johnson de desenvolver o produto. 

Logo os soldados não só começaram a usá-la nas munições, como também para remendar roupas, sapatos e até carros e aviões. 

8. Absorventes íntimos

Outra utilidade do dia a dia a ser inventada durante a guerra foram os absorventes íntimos femininos. Como assim? Bem, a ideia surgiu durante a Primeira Guerra Mundial, quando uma certa empresa começou a usar Cellucotton – uma substância feita de celulose e cinco vezes mais absorvente que o algodão – nos curativos cirúrgicos. 

Não demorou muito para que as enfermeiras da Cruz Vermelha, que trabalhavam nos campos de batalha, percebessem a utilidade do produto como absorvente íntimo. Dois anos depois do fim da Primeira Guerra Mundial, o item foi lançado para a população. 

9. M&M’s 

O doce? Sim, isso mesmo! O queridinho das crianças foi inventado especificamente para os soldados da Segunda Guerra Mundial. Chocolate já era uma parte tradicional das rações militares desde a Guerra da Independência dos Estados Unidos, devido ao seu alto teor calórico. 

Foi durante a Segunda Guerra Mundial, porém, que os confeiteiros foram incumbidos de desenvolverem um chocolate que fosse fácil de transportar e que derretesse na boca, não na mão. Assim, foi criado o M&M. O bombom, contudo, só foi liberado para a população após o fim do conflito e do racionamento de chocolate. 

E aí, guerreiro? Conhecia essas invenções do período das guerras? Fique atento ao Portal Estratégia Militares para mais informações e curiosidades sobre o Mundo Militar! Clique no banner e também conheça nossos cursos on-line preparatórios. 

Benner CTA EM

Veja também:

Referências

Você pode gostar também