Engenheiro Militar: o que é, carreira, como se tornar um e mais!

Engenheiro Militar: o que é, carreira, como se tornar um e mais!

Já ouviu falar do Engenheiro Militar? Ele é o responsável por auxiliar a tropa em seu deslocamento, tanto em tempos de paz, quanto em tempos de guerra. O Estratégia Militares preparou um artigo que te conta tudo sobre como é a carreira e como você pode se tornar um Engenheiro Militar!

Inscreva-se em nossa newsletter!

Receba notícias sobre os mais importantes concursos para as Forças Armadas brasileiras e informações sobre o mundo militar!

O que é um Engenheiro Militar?

O Engenheiro é o militar de carreira que compõe o Quadro ou a Arma de Engenharia e possui atribuições fundamentais para o Exército. Em situação de guerra, ele é o responsável pela locomoção da tropa e faz isso de diversas formas. Como principais exemplos, temos: 

  • Construção e manutenção de pontes;
  • Construção e manutenção de estradas;
  • Eliminação de obstáculos que dificultam a progressão dos militares; e
  • Realiza a transposição da tropa em rios por meio de balsas.

Além disso, esse Quadro tem um papel defensivo importantíssimo, já que seus militares conseguem atrasar o avanço do adversário, destruindo suas pontes, estradas entre outros meios de locomoção. 

Já em tempos de paz, o Engenheiro auxilia não só na infraestrutura de seus quartéis, mas também na infraestrutura nacional, sendo responsável pela realização de grandes obras civis, como: construção de pontes, estradas, ferrovias, barragens, construção de poços artesianos (fundamental para famílias nordestinas) entre outros. 

História da Engenharia Militar 

Nas primeiras guerras da história, os exércitos tinham preocupação somente com o aspecto do combate, já que as guerras ocorriam em regiões próximas e eram de curta duração. Porém, com a ascensão do Império Romano, que dominava toda a Europa, essa visão de combate mudou.

O Exército do Império Romano guerreava em regiões muito distantes das de origem e muitas vezes em lugares que eles não conheciam. Nesse cenário, por diversas vezes apareciam obstáculos físicos (montanhas, rios, cordilheiras) que precisavam ser vencidos no mesmo momento.

Isso fez com que o Império Romano fosse o primeiro a idealizar e criar a Engenharia Militar. Naquele momento, Roma criou duas vertentes da Engenharia militar: uma de combate e uma de construção.   

A partir daí, os Exércitos e as Nações que sucederam o Império Romano adotaram a Engenharia como peça fundamental em suas tropas, já que essa especialidade conseguia agilizar e acelerar a locomoção de toda a tropa nos cenários mais adversos possíveis.  

Um dos momentos de maior destaque da Engenharia Militar foi na 2ª Guerra Mundial. Nesse cenário, os Exércitos tinham um alto nível de mecanização e era difícil transportar blindados e caminhões com suprimentos em lugares remotos. Os engenheiros foram os responsáveis por construir diversas pontes capazes de suportar toneladas.

No Exército Brasileiro, o momento de maior destaque da Engenharia foi na Guerra da Tríplice Aliança, quando o Patrono Villagran Cabrita fez a transposição do Rio Paraná de forma brilhante e surpreendeu o Exército Paraguaio.

A carreira de um Engenheiro Militar  

O Engenheiro Militar pode se formar em duas Escolas Militares: ESA e EsPCEx. Além disso, ainda há o quadro de Engenheiros Militares que são formados pelo IME.

Formação na ESA

A formação na ESA tem a duração prevista de dois anos. Após a aprovação no concurso da ESA, o aluno inicia o período básico logo no seu primeiro ano de formação. No final do período básico, o aluno escolhe, entre as diversas Armas e Quadros, qual deseja seguir. 

Nesse momento, pode optar pelo curso de Engenharia e realizar o Período de Qualificação na Escola de Sargentos das Armas no seu segundo ano de formação. Após o Período de Qualificação, o Engenheiro Militar é declarado 3° Sargento do Exército Brasileiro e opta por alguma organização militar do Brasil para que possa exercer sua função. 

Formação na EsPCEx

A formação na EsPCEx tem a duração de 5 anos. Após a aprovação no concurso, o aluno realiza uma formação básica de um ano na Escola Preparatória de Cadetes do Exército, em Campinas. Logo após segue para a AMAN, em Resende, onde fará um curso básico no seu primeiro ano como Cadete. No segundo ano como Cadete poderá ser feita a escolha pela Arma de Engenharia e concluída a formação do Oficial. 

Após a formação, o Cadete será declarado Aspirante a Oficial do Exército Brasileiro e poderá optar por alguma organização militar do Brasil para exercer a função de Engenheiro Militar. 

Formação no IME

O Instituto Militar de Engenharia – IME forma tanto militares quanto civis em um curso que tem a duração prevista de 5 anos. Os alunos podem optar por algum dos seguintes ramos da Engenharia que são oferecidos pela instituição:

  • Engenharia Cartográfica;
  • Engenharia de Computação;
  • Engenharia de Comunicações;
  • Engenharia Elétrica;
  • Engenharia de Fortificação e Construção (similar ao curso de Engenharia Civil);
  • Engenharia Eletrônica;
  • Engenharia Mecânica;
  • Engenharia de Materiais; e
  • Engenharia Química.

Após a conclusão do curso, o aluno é declarado 1° Tenente do Exército Brasileiro e passa a compor o Quadro de Engenheiros Militares. 

Engenheiro Militar

É importante ressaltar que há uma diferença significativa no curso de Engenharia do IME comparado aos cursos de Engenharia da ESA e da EsPCEx, tendo em vista que o do IME tem um caráter muito mais técnico e voltado à pesquisa, diferentemente do caráter combatente que a Arma de Engenharia propõe.  

Salário de um Engenheiro Militar 

O salário varia de acordo com a patente do militar, ou seja, dependerá de qual concurso esse Engenheiro realizou (ESA, EsPCEx ou IME). 

O 3° Sargento Formado na ESA faz jus a uma remuneração de aproximadamente R$5.000,00, a depender da localização em que serve ou de outros cursos que realizou.

O Aspirante a Oficial oriundo da AMAN tem um vencimento mensal de aproximadamente R$7.000,00. Após 6 meses como Aspirante, esse Engenheiro é declarado 2° Tenente e passa a receber R $8.500,00, aproximadamente. 

No IME, o Engenheiro formado é declarado 1° Tenente após a conclusão do curso e faz jus a uma remuneração de aproximadamente R$11.000,00. 

Curiosidades sobre a Engenharia Militar 

Uma das curiosidades da Engenharia Militar está no seu curso. Tanto o da ESA quanto o da EsPCEx possuem o maior índice de satisfação entre todos os cursos oferecidos por essas instituições. Essa satisfação se dá pela diversidade de atividades encontrada pelos alunos do curso. 

Canção da Engenharia Militar

Quer na paz, quer na guerra, a Engenharia
Fulgura, sobranceira, em nossa história
Arma sempre presente, apoia e guia
As outras Armas todas à vitória.
Nobre e indômita, heróica e secular
Audaz, na guerra, ao enfrentar a morte,
Na paz, luta e trabalha, sem cessar,
Pioneira brava de um Brasil mais forte.
O castelo lendário, da Arma azul-turquesa
Que a tropa ostenta, a desfilar, com galhardia
É um escudo de luta, é o brasão da grandeza
E da glória sem fim, com que forja a defesa
E é esteio, do Brasil, a Engenharia.
Face aos rios ou minas, que o inimigo
Mantém, sob seu fogo, abre o engenheiro
A frente para o ataque e, ante o perigo,
Muitas vezes, dos bravos é o primeiro.
Lança pontes e estradas, nunca falha,
E em lutas as suas glórias ressuscita,
Honrando, em todo o campo de batalha,
As tradições de Villagran Cabrita.
O castelo lendário, da Arma azul-turquesa
Que a tropa ostenta, a desfilar, com galhardia
É um escudo de luta, é o brasão da grandeza
E da glória sem fim, com que forja a defesa
E é esteio, do Brasil, a Engenharia.
Letra: Aurélio de Lyra Tavares
Música: Hildo Rangel

Se você quer se tornar um Engenheiro Militar, conte com o Estratégia Militares na sua preparação. Clique no banner abaixo para conhecer nossos cursos. Vem ser Coruja!

Veja também:

Você pode gostar também