Patentes da Aeronáutica: hierarquia, salário e mais!
Foto: Cabo V. Santos-AFA/Divulgação

Patentes da Aeronáutica: hierarquia, salário e mais!

Você sabe qual a maior patente da Aeronáutica em tempos de paz ou guerra? O Estratégia Militares separou informações e curiosidades para você. A hierarquia e a disciplina são a base institucional da Força Aérea Brasileira (FAB). A autoridade e a responsabilidade crescem com o grau hierárquico ocupado pelo militar. 

A hierarquia militar é a ordenação da autoridade, em níveis diferentes, dentro da estrutura da FAB. A ordenação se faz por postos ou graduações. No caso de um mesmo posto ou graduação, a hierarquia se faz pela antiguidade, ou tempo de serviço.

Inscreva-se em nossa newsletter!

Receba notícias sobre os mais importantes concursos para as Forças Armadas brasileiras e informações sobre o mundo militar!

Quais são as patentes da Aeronáutica?

O posto é o grau hierárquico do oficial. Em tempos de guerra, a maior patente da Aeronáutica que um oficial pode chegar é o de marechal-do-ar. 

Em tempos de paz, os postos da FAB são: tenente-brigadeiro do Ar, major-brigadeiro, brigadeiro, coronel, tenente-coronel, major, capitão, primeiro tenente, segundo tenente e aspirante a oficial.

Já as graduações são: suboficial, primeiro sargento, segundo sargento, terceiro sargento, cabo, taifeiro-mor, soldado primeira classe, taifeiro primeira classe, soldado segunda classe e taifeiro segunda classe.

Oficiais generais

Os oficiais generais são chamados de brigadeiros e fazem parte do Estado-Maior e alto comando da FAB. O generalato é o topo da carreira militar. O posto é alcançado pela indicação de outros brigadeiros à uma comissão que analisa e julga se o oficial indicado é apto a promoção. Os postos são divididos de acordo com o grau de comando:

  • Marechal-do-ar: posto empregado somente em estado de guerra. Se isso ocorrer, um tenente-brigadeiro é promovido ao posto de marechal. As personalidades da FAB que ocuparam esse posto são Alberto Santos-Dumont, Pai da Aviação e Patrono da Aeronáutica Brasileira; marechal-do-ar Eduardo Gomes, Patrono da Força Aérea Brasileira; marechal Casimiro Montenegro Filho, Patrono da engenharia da Aeronáutica, entre outros;
  • Tenente-brigadeiro do Ar: é o posto mais alto ocupado por um militar em tempos de paz. O posto de tenente-brigadeiro é ocupado somente por aviadores, que compõem o alto comando da FAB e auxiliam o comandante da Aeronáutica na na gestão da força. Sua divisa tem quatro estrelas;
  • Major-brigadeiro: é um oficial general de três estrelas e o posto pode ser ocupado por oficiais aviadores, intendentes, médicos e engenheiros; e
  • Brigadeiro: é o primeiro posto do generalato. É alcançado por coronéis promovidos por indicação de seus superiores. A patente de Brigadeiro é a mais alta alcançada pelo infante da Aeronáutica proveniente da Academia da Força Aérea (AFA). Sua divisa tem duas estrelas.

Oficiais superiores

Os oficiais superiores ocupam o topo da carreira regular.  

  • Coronel: é o posto que exige a máxima experiência do oficial de carreira. Os oficiais que alcançam a patente de coronel possuem no mínimo 25 anos de vida militar. Eles são responsáveis pelo planejamento, condução e comando de algumas unidades da FAB. Os coronéis, indicados ao posto de brigadeiros, passam antes pela Escola Superior de Guerra (ESG), com o intuito de serem preparados para ocupar o alto comando da Força Aérea;
  • Tenente-coronel: atua como substituto dos coronéis. É o posto de transição entre a parte operacional e administrativa, principalmente para os aviadores. Neste posto, os oficiais que exercerão atividades de comando de unidades de maior porte. Os oficiais superiores  são matriculados na Escola de Comando do Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR) para serem preparados para os cargos seguintes da carreira militar; e
  • Major: é o posto de entrada dos oficiais oriundos da Universidade da Força Aérea (UNIFA) do curso de Estado-Maior da Aeronáutica. Os majores exercem funções administrativas e operacionais. É uma das fases mais intensas da vida de um oficial.

Oficiais Intermediários

Os oficiais intermediários são marcados pelo início das especializações e pós-graduação oferecidos pela FAB.

  • Capitão: é o oficial que intermedeia as ordens do Estado-Maior para as tropas, além de comandar uma companhia, quando está na infantaria. É marcado pela estabilidade na carreira militar e pelo ingresso do capitão na UNIFA, onde poderá se especializar em diversos cursos em gestão, política estratégica, entre outros.

Oficiais Subalternos

Este nível é composto pelos oficiais recém formados pela AFA, pelo Centro de Instrução e Adaptação da Aeronáutica (CIAAR), Instituto Tecnológico da Aeronáutica (ITA) ou pelas unidades da FAB.

  • 1º tenente: é o responsável pelo comando das seções, compostas por até 12 militares, quando escalados para serviços também é responsável pela segurança e defesa das unidades. É o primeiro posto ocupado pelos militares vindos do ITA e de algumas especialidades do CIAAR;
  • 2º tenente: é o o posto inicial ocupado por um oficial. Assim como o 1º tenente, é responsável pela gerência das seções. O tempo de  permanência no posto é de aproximadamente quatro anos; e
  • Aspirante a oficial: é considerado como praça especial, mas tem precedência hierárquica sobre sargentos e suboficiais. É ocupado pelos oficiais vindos da AFA ou algumas especialidades do CIAAR.
Maior Patente da Aeronáutica
Foto: Sd. A. Soares-AFA / Divulgação

O quadro de praças é composto pelos soldados de 2ª classe, soldados de 1ª classe e cabos. Os soldados são responsáveis pela execução das ordens vindas dos cabos e atuam como auxiliares nas seções ou batalhões de serviço, além de cuidarem da segurança das unidades.

Os cabos são responsáveis em garantir que as ordens vindas dos sargentos sejam cumpridas pelos soldados. Os cabos atuam como precursores na solução de problemas gerados nos serviços, além de liderarem as esquadras.

O quadro dos graduados é dedicado aos sargentos e suboficiais da Aeronáutica. À medida que adquirem mais tempo na carreira, os sargentos vão acumulando funções de mais responsabilidade nas seções e tropas, podendo chegar à graduação de suboficial. 

Os suboficiais são o elo entre o comando e a tropa, além de serem responsáveis pela manutenção da disciplina. Na FAB existem os graduados-master. O objetivo deles é auxiliar a alta administração, com participação e ajuda de praças. Os suboficiais prestam serviços e assessoramento nas questões a respeito da disciplina, da moral, da carreira, da motivação, do desempenho funcional, da instrução e capacitação, do bem-estar, do apoio à saúde e social, da satisfação profissional e do apoio à família militar, no círculo das praças.

Quadro de infantaria e de aviação: diferença entre os postos e graduações

Os oficiais das armas de aviação e infantaria são originários da AFA e não possuem diferenças entre os postos na carreira regular. Ambos participam dos cursos de pós-graduação e especializações ofertados pela UNIFA.

O tempo de carreira como oficiais generais para os infantes, porém, é menor. A Aeronáutica, no ano de 2007, incluiu no posto de brigadeiro a arma de infantaria, e designou os infantes que venham a ocupar o cargo como brigadeiros infantes. Esse é o posto máximo que o infante pode chegar na FAB. 

Já o oficial aviador pode chegar, em tempos de paz, até o posto de tenente-brigadeiro do ar, ou, em tempos de guerra, a marechal-do-ar. 

Quanto ganha a maior patente da aeronáutica?

Segundo a tabela de soldos militares, a maior patente da Aeronáutica (tenente-brigadeiro) do ar ganha cerca de R$13.471,00, mais adicionais. Um coronel, topo da carreira regular, ganha cerca de R$11.451,00, mais adicionais. Um suboficial, topo de carreira dos graduados, ganha cerca de R$6.169,00, mais adicionais. 

Agora que você sabe sobre as patentes da Aeronáutica, clique no banner abaixo e saiba mais sobre nossos cursos preparatórios para as provas de admissão da FAB. Vem ser coruja!

CTA-Volta-as-aulas-EM-Ultimo-Lote.jpg

Veja também

Você pode gostar também